Stormy Days

Já conheci amizades tempestuosas, mas só elas me permitiram desejar, reconhecer e valorizar a beleza das amizades primaveris!
Num dia cinzento dos meus 17 anos, um professor, o maior responsável por eu ter optado pela carreira de psicóloga, perguntou-me:
 - “Queres fazer bons amigos e evitar fazer maus amigos?”
- Sim, claro… Respondi eu.
- “Então precisas de duas coisas: a primeira é o desejo de fazer bons amigos e a segunda é a habilidade para os fazer.” Depois de me dizer isto, virou costas e deixou-me sozinha… Na altura, esta resposta deixou-me irritada. Pensei: “grande ajuda me deste!”
O curioso é que hoje é essa mesma resposta/conselho que dou, porque não existe nenhuma outra “receita” para que ocorra esse encontro entre duas pessoas que decidem colocar-se no mesmo plano, onde não há diferenças, onde ninguém é superior ou inferior… antes porém, partilham, enriquecem-se mutuamente… Para o conseguir, “apenas” tem de existir o desejo de encontrar (os bons amigos), a capacidade de observar e aprender com a experiência e, claro, a capacidade de triar. Quando assim é, até o que para mim um dia parecia impossível acontece: “amizade à primeira vista.” Algo que não se consegue explicar, apenas se sente… E depois, depois só nos resta cuidar deste bem precioso. Pois, uma das grandes maravilhas da vida é encontrarmos pessoas que transformam os nossos pequenos instantes em grandes momentos…

O QUE A EXPERIÊNCIA ME TEM ENSINADO
Não tem sido nos meus "stormy days" que tenho conhecido os verdadeiros amigos, mas nos meus meus "sunny days"!! Existe explicação? Claro que existe...

SOM DO DIA
Roger Waters & Eddie Vedder - Comfortably Numb