EM VIAGEM| Memórias do Tibete

Em 2010, tive a oportunidade de realizar uma das viagens dos meus sonhos: Tibete. Viagem que teve início em Katmandu, Nepal (onde aguardamos o visto que nos autorizou a entrada no Tibete), seguindo-se Lhasa (capital tibetena) e, posteriormente, subida até ao acampamento base (norte) do Monte Everest, situado a uma altitude de 5150 m, aí conheci o mais azul dos céus... - imagem que viverá gravada em mim.
Por terras tibetanas, para além de muitas outras "coisas" para as quais me faltam palavras para as descrever, conheci o silêncio perfeito. Percebi, com o breve contacto com nómadas tibetanos, que a natureza lhes proporciona tudo aquilo de que necessitam (mesmo quando parece ter tão pouco para oferecer), aprendendo, dessa forma, que os conceitos de escassez e pobreza podem ser bastante relativos (ou o de riqueza, dependendo da perspetiva com que se encare a nossa perceção do mundo!). Percebi, ainda, o quão nós, ocidentais, nos escravizamos em prol de necessidades por nós criadas/impostas... Esta viagem, da qual um dia partilharei fotografias e mais detalhes, foi uma verdadeira lição, foi como que um súbito distúrbio no meu padrão de vida...

 Esta frase (e imagem) do alpinista português João Garcia diz tudo...