Porque ninguém consegue estar sempre controlado (e se calhar não deve)...

Creio que já referi que adoro histórias, e até mais do que uma vez...
Esta é a história de uma jovem que tinha mau humor...

O seu pai deu-lhe um saco de pregos e disse-lhe que, de cada vez que perdesse a paciência, tinha de pregar um prego por detrás da porta do seu quarto. No primeiro dia, a jovem pregou 37 pregos. Nas semanas seguintes, à medida que ia controlando o seu mau génio, foi pregando cada vez menos pregos. A jovem percebeu que era mais fácil controlar o seu mau génio do que pregar pregos atrás da porta.

Chegou o dia em que conseguiu controlar o seu caráter durante um dia inteiro, informou o pai e este sugeriu-lhe que retirasse um prego em cada dia que conseguisse controlar o seu mau génio. Os dias foram passando e a jovem pôde anunciar ao pai que já não tinha mais nenhum prego na porta.

O pai pegou-a pela mão, levou-a até à porta e disse-lhe:
“Trabalhaste duro minha filha, agora repara em todos os buracos que se encontram na porta. Nunca mais será a mesma. De cada vez que perdes a paciência, deixas cicatrizes, exatamente como as que aqui vês. Podes gritar, insultar alguém e retirar o que disseste mas a forma como o dizes pode fazer mais maleitas do que as que pensas, deixa cicatrizes que ficam para sempre”.

Ninguém consegue estar sempre controlado – e se calhar não deve. As emoções negativas e a irritação têm o seu lado saudável. A forma como lidamos com elas – sem desrespeito nem violência, sem fazer coisas de que nos arrependamos a seguir, ... – é que deve ser cultivada.