EM VIAGEM| Rhône-Alpes: Annecy

Numa conversa de amigos, em que “viagens” era o seu tema central, um amigo comentou comigo: “tens de conhecer Annecy, é a tua cara…” Fico sempre muito curiosa quando me dizem “…é a tua cara!”. Movida, ou não, por essa curiosidade, fiz algumas pesquisas sobre Annecy, et voilà: uma viagem que merece ser partilhada.
Existem amigos que me conhecem muito bem, perdi-me de amores por Annecy assim que me passeei pelas suas encantadoras ruelas. Uma vila Medieval, romântica, envolvida pela deliciosa atmosfera dos Alpes (aliás, visitar Annecy é obrigatório para quem quiser explorar a região Rhône-Alpes), descontraída, com uma interessante oferta cultural e com uma gastronomia fabulosa (o Restaurante Chez Mamie Lise é qualquer coisa!).

Localização: Alpes Franceses, entre Chambéry e Genebra. Está situada a 448 metros acima do nível do mar, na ponta norte do Lago de Annecy e a norte dos Alpes franceses. A cidade ocupa uma posição estratégica nas rotas entre Itália, Suíça e França. Outrora Annecy pertenceu a Genebra, mas aquando da revolução francesa foi anexada ao Departamento de Mont Blanc tornando-se francesa.

Curiosidade: É apelidada de "Veneza dos Alpes", porque os braços do Lago Annency e do rio Thiou, que lhe dá origem, "obrigaram" que a cidade, ainda com muitas características medievais, fosse construída sobre as suas águas dando por isso origem a inúmeras pontes, canais, açudes e cais "particulares".

Roteiro Cultural: Sugiro que o roteiro cultural a fazer em Annecy tenha início com uma visita ao Chateau, obra começada no século XII e terminada no XVI, com uma bela vista sobre o casario da cidade, onde funciona um museu com coleções etnográficas, arte contemporânea, arqueologia e história natural. Na zona baixa da cidade, é obrigatório o Palácio de l’Isle, edifício da Idade Média onde, em tempos, funcionou uma cadeia, uma casa de cunhagem de moeda e mais tarde um tribunal. São de apreciar com olhos de ver a catedral Saint-Pierre, uma mistura de estilo gótico e renascentista; a Notre Dame, um belo exemplar de arquitetura neoclássica, e os frescos da igreja de Saint-Maurice Passeiem-se pelas ruelas e vejam como são apetitosos os mercados de rua. Se têm ouvido musical aconselho uma visita ao museu/fábrica Paccard, onde se fabricam os melhores, maiores e mais melodiosos sinos e carrilhões do mundo!

Como lá chegar: as opções, para mim, eram duas: apanhar voo até Lyon, ou até Genebra. Decidi-me por Genebra. Porquê? Porque esta opção sai bem mais económica. Porque até Genebra conseguem-se voos em conta (refiro-me ao trajeto Porto – Genebra), a Uriresco (empresa de transportes públicos de Genebra) disponibiliza no aeroporto, na zona de chegadas, bilhetes gratuitos com validade de 80 minutos. Assim sendo, este bilhete permitiu-me deslocar do aeroporto até ao centro de Genebra de forma gratuita. Revisitei a cidade e na gare rodoviária apanhei o autocarro para Annecy (preço: 10,50€; duração da viagem: 1h10m). No dia de partida, fiz a viagem de Annecy diretamente para o aeroporto pelo mesmo valor.
Feitas as contas: voo ida e volta 79€ | viagens entre Annecy e Genbra: 21€.

Sugestão de Hotel em Annecy: Hotel Central. Excelente localização e atendimento. Um ambiente muito familiar e acolhedor. E com uma decoração que fez as minhas delícias!

Nesta viagem visitei: Genebra, Annecy, Cruzeiro pelo Lago de Annecy, Talloirs, Veyrier-du-Lac e La Clusaz. Neste primeira partilha da viagem mostro-vos algumas imagens e curiosidades do Lago de Annecy.

Que os franceses têm a mania das grandezas é comentário corrente, mas eles não exageram quando dizem que a água do lago de Annecy é a mais pura da Europa. Aliás, o lago é famoso por ser um dos mais limpos do mundo! O lago tem 14 quilómetros de comprimento e chega a ter quase um de largura, no seu ponto mais largo.

Na Veneza dos Alpes não há gondoleiros, mas há cisnes!
E só o pássaro destemido conseguiu afastar o cisne de mim!
Passeio pelo Lago Annecy| Nesta altura do ano só é possível efetuar o trajeto com duração de 1 hora. Tarifa= 14€.
Tinha de fazer um cruzeiro comentado no lago e perceber o seu enquadramento excecional entre três grandes montanhas que marcam o início, a sul, dos Alpes: Mont Veyrier, Dents de Lanfon e La Tournette. 
Château de Menthon, castelo onde nasceu, no século XI, o santo que deu nome ao cão que salva vidas na montanha: São Bernardo.

Fotografias| Butterflies & Hurricanes - Liliana Fernandes