04 Outubro: Dia Mundial do Animal

Eu que sempre me considerei meio gato, meio gente... Desconfiada e independente...Não tinha nos meus planos "adotar" um gatinho, mas...
Em Agosto, num dia de muito calor, encontrei esta "criaturinha" abandonada na berma da estrada e no meio do nada…
Ato Reflexo: Parei o carro...

Naquele momento, o meu coração sussurrava: “Se ficar aqui não resiste. Tenho de o levar…”
A minha razão questionava: “E depois? O que faço com o gatinho?”
Mas ele antecipou-se e... CATIVOU-ME!! 

Apresento-vos o Gui...

Há 15 dias comigo :)
Há 1 mês comigo :)

Disseram-me: “Não te vais arrepender, sabes porquê? Porque eles são leais, amigáveis e sociáveis... Porque eles apreciam a companhia de jovens e velhos de igual modo... Porque eles são sensíveis aos nossos estados de espírito e partilham connosco o mesmo nível de entendimento... "


ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO: Curiosidades

Bem-Estar Geral
Os animais de estimação proporcionam companheirismo e, de um modo geral, fomentam uma sensação de bem-estar.
Um animal de estimação pode agir como estímulo social. Uma caminhada pelo parque ou uma visita ao veterinário dá-nos a oportunidade de conhecer e falar com outras pessoas. Os estudos têm vindo a demonstrar que as pessoas que levam um cão a passear têm encontros muito mais positivos do que as pessoas que fazem um passeio sozinhas. Um animal de estimação pode servir para “quebrar o gelo”, sendo um tema de conversação.
Ter um animal de estimação também significa ter que fazer o esforço de sair de casa, comprar alimentos e fazer exercício. A rotina, o sentido de propósito e a sensação de realização ao cuidar de um animal de estimação traz significado à vida de muitas pessoas que vivem isoladas, ajudando a combater a depressão e a solidão.

Diminuir o Stresse
Fazer festas a um animal de estimação ou estar simplesmente a observar peixes num aquário ajuda-nos a relaxar. Mesmo estar com um animal de estimação tem um efeito calmante. O relaxamento que sentimos pode ser medido na forma de uma pulsação cardíaca mais lenta e uma diminuição na pressão arterial.
Estudos têm demonstrado que essa redução é percetível particularmente nas pessoas que sofrem de hipertensão. A redução na pressão arterial devido ao facto de se possuir um animal de estimação é a mesma que se consegue se passarmos a ter uma alimentação pobre em sal ou se diminuirmos o consumo de álcool.
Ter um animal de estimação também pode ajudar a reduzir o risco de asma, bem como ajudar-nos a lidar com a morte de um companheiro de toda uma vida.

As Crianças e os Animais de Estimação
Muitas crianças adoram ter um animal de estimação, sendo que os cientistas têm vindo a descobrir os devidos benefícios.
As crianças que possuem animais de estimação tendem a ter mais confiança em si próprias e a ser mais sociáveis e menos egoístas do que as crianças sem animais de estimação. Num estudo levado a cabo na Alemanha, 90% dos pais achavam que o seu cão desempenhava um papel educativo junto dos seus filhos pequenos, e que melhorava a qualidade de vida da criança. 80% das crianças entrevistadas achavam que o cão delas era sobretudo o seu amigo e confidente. 
Também os adolescentes podem beneficiar disso. Um estudo a jovens residentes em grandes cidades descobriu que aqueles que tinham cães estavam mais contentes com a vida, tendo uma relação mais positiva com os adultos. Pode haver um importante papel a desempenhar pelos cães na prevenção da delinquência, terapia para os jovens desempregados e outros, como, por exemplo, toxicodependentes. 
No Great Ormond Street Children's Hospital em Londres, as visitas semanais de animais de estimação ajudaram as crianças a ultrapassar a depressão causada por um longo internamento, bem como pelos tratamentos clínicos desagradáveis.
A presença de um cão numa sala de aulas para crianças com graves dificuldades de aprendizagem foi notável na forma como susteve o seu interesse e atenção nas aulas.

Manter os Idosos Activos
Num estudo canadiano que envolveu mais de mil pessoas, o Dr. Parminda Raina descobriu que os idosos com animais de estimação conseguiam lidar melhor com as atividades do dia-a-dia do que os que não os tinham. Também verificou que os idosos donos de animais gastavam menos com a saúde do que aqueles que não tinham animais de estimação.
Um outro projeto de pesquisa descobriu que um grupo de idosos que vivia em habitações residenciais, a quem foram dados periquitos, lidava melhor com outros aspetos do processo de envelhecimento.