Sim, como se faz?

"Como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?
Sim, Como se faz? Como se esquece?

Devagar…
É preciso aguentar. É preciso paciência.
A tristeza só há de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguém antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo.

A saudade é uma dor que pode passar (ou melhor, tornar-se mais serena) depois de devidamente doída, devidamente sentida. E o primeiro passo é aceitá-la.
É preciso aceitar esta dor que nos despedaça o coração. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução…

Dizem-nos para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos, mais tarde, de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado…"



Nada se esquece. O que é preciso é deixar correr o coração de lembrança em lembrança até ele se acalmar.
E, um dia, as lembranças deixam de nos magoar… Confortam-nos.

                                                                                  Adaptação de texto de Miguel Esteves Cardoso