Há sempre quem nos compreenda...

Alguns artistas – poetas, músicos e demais sonhadores – parecem conhecer a fundo a alma humana. Quando falam de si, mostram também um pouco de nós. 
Ao ler as seguintes palavras de Clarice Lispector, pensei: "Como é possível? Clarice escreveu sobre mim!"


"Não me prendo a nada que me defina.
Sou companhia, mas posso ser solidão;
tranquilidade e inconstância; pedra e coração.
Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono.
Música alta e silêncio.
Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser."