MONSANTO| A "Casa da Tia Piedade"

No meio de Portugal, existe um encantador lugar, um povoado que conhece a presença do homem desde o paleolítico, um conjunto de casas que se erguem sobre montes de granito e com o granito erguidas, onde o musgo e o vento são companheiros de histórias e lendas...onde tudo parece convidar ao mistério!

Um lugar que no longínquo ano de 1938, em pleno Estado Novo, ganhou o título de “Aldeia mais portuguesa de Portugal”, título que orgulhosamente ostenta até hoje.
Monsanto, a aldeia conquistada por D. Afonso Henriques aos mouros e doada em 1165 aos Templários, um pequeno encanto que nos faz viajar até à época Medieval, que se tornou um mito e de quem se diz que: “quem conquistar Monsanto, conquistará o mundo”

Terra que, como qualquer aldeia da raia, se bateu contra tentativas de invasão de Castela, tendo originado aquela que se tornou a mais popular de todas as lendas, uma lenda que tem a sua origem em 1658 quando mais uma vez os vizinhos do outro lado da fronteira tentaram conquistar esta aldeia.
E como sou uma fascinada por lendas, não resisto...passo a contá-la: ...Diz a lenda que um exército castelhano sitiou o castelo, mas que Monsanto não se rendeu. E o cerco durou semanas e semanas, e os viveres começaram a escassear, até que só restava um bezerro e um saco de trigo. E quando a fome começava a tomar conta do seu povo, uma aldeã teve a ideia de dar o trigo a comer ao bezerro, atirando-o depois do alto das escarpas. Ao cair no meio do exército castelhano, o bezerro rebentou, dando a ver o seu estômago cheio de trigo. Perante tal imagem, os assaltantes acreditaram que no interior das muralhas ainda muito haveria para comer e levantaram o cerco.

O QUE VER
São muitas as propostas oferecidas por esta aldeia de granito construída. Para além do casario, único, a não perder: o Castelo, a porta e a Capela do Espírito Santo, a Fonte do Meio, a casa de Fernando Namora, o Cruzeiro e a Igreja de São Salvador, a Igreja da Misericórdia, a Capela de São Miguel, o Solar da Graciosa, que alberga o posto do turismo, a Torre do Lugano ou do Relógio, as casas medievais, os túmulos escavados na rocha granítica… e deixar passar o tempo enquanto nos remetemos a reflexões sentados no Banco da Paciência!

O QUE COMPRAR
O mel e o azeite da região são uma tentação. Mas o que de mais típico podemos levar como recordação são os adufes, ancestrais instrumentos musicais, e as “Marafonas”, as bonecas sem cara feitas de tecido e associadas a antigos rituais de fertilidade e uma “arma” contra o mau-olhado!


ONDE FICAR
Como sugestão de alojamento apresento-vos a deliciosa "Casa da Tia Piedade". Um projeto (de familiares meus) que completou recentemente 2 anos.

"Começamos com o projeto fez 2 anos a 15 de Agosto, altura em que recebemos os primeiros hóspedes... Acima de tudo, tem sido uma experiência muito enriquecedora...
A casa, para além dos quartos, da sala com kitchenet,... tem uma vista privilegiada...maravilhosa!" - Graça Peixoto

Para conhecer todos os pormenores, consultar preços e aceder aos contactos, não deixem de consultar o site da "Casa da Tia Piedade" AQUI