Para ouvir: Crazy Clown Time, de David Lynch

A par de todo o somatório de experiências surrealistas, diálogos marcados pela densidade e a constante exposição de temáticas envolvidas por uma aura de mistério, encontramos a música enquanto elemento fundamental na carreira de David Lynch. Seja através das colaborações com o compositor Angelo Badalamenti, por exemplo, em Twin Peaks – para mim, a melhor banda sonora que uma série televisiva já teve – ou mesmo com as suas contribuições em trabalhos de outros artistas – como o ainda recente Dark Night of the Soul, trabalho em parceria com Dangermouse e Sparklehorse.
Longe das telas, o norte-americano, de 65 anos, surge agora com seu primeiro trabalho musical: Crazy Clown Time. Lynch e o engenheiro de som Dean Hurley, fazendo uso da música eletrónica, dão forma a um conjunto de 14 faixas (numa atmosfera sombria e experimental) que parecem intimamente ligadas à sua vasta obra cinematográfica.
Na minha opinião, David Lynch prova que, para além de ser um dos maiores e mais completos cineastas, está, também, habilmente preparado para “se movimentar” pelo mundo da música.
Fiquem com o video do tema Good Day Today, sem dúvida alguma com assinatura de Lynch... perturbador...