“LET TOYS BE TOYS - FOR GIRLS AND BOYS”

Brincar é crucial para o desenvolvimento de uma criança.
Nas brincadeiras, as crianças podem desenvolver algumas capacidades importantes, tais como: atenção, imitação, memória e imaginação. Amadurecem, igualmente, algumas capacidades de socialização por meio da intenção, da utilização e da experimentação de regras e papéis sociais.

Como disse Piaget, brincar é o trabalho de uma criança. E não há porque dar limites a isso.
Quando questionados, os pais dizem que não há qualquer problema no facto de os meninos e as meninas trocarem de papéis na hora da brincadeira. Pois…na teoria é fácil falar. Na prática, pais e mães compram brinquedos delicados e cor-de-rosa para as meninas, e carrinhos e kits de médicos para meninos. E atire a primeira pedra quem não mudou de assunto quando o filho mostrou interesse numa boneca ou a filha quis saber se podia ter um camião ou umas chuteiras…

É preciso considerar que, quando damos jogos de tabuleiro como xadrez ou damas só para meninos, estamos a excluir as meninas de aprenderem lições de lógica e raciocínio, por exemplo.
Além de precisarem de estímulos diferentes para aprender coisas diferentes, as crianças também precisam decidir por si o que é divertido. Mais, com essa liberdade de escolha, entre outros aspetos, podemos “trabalhar” na desmistificação de estereótipos sociais.

Partilho o vídeo publicitário da empresa de brinquedos Goldie Blox, que chamou a atenção com um roteiro que brinca com os estereótipos do mundo feminino e oferece uma linha de brinquedos para “futuras engenheiras”. Vale a pena visualizar.

By Liliana Fernandes