DESEMPENHO E MOTIVAÇÃO

O que é que os melhores têm (para além das competências desportivas) que os outros não têm?
Têm níveis elevados de: Autoestima, Autoeficácia, Expetativas e Motivação/Determinação“Podes fazê-lo, só necessitas de um pouco de confiança”, é uma expressão muito familiar para os treinadores e desportistas.


O QUE É A AUTOEFICÁCIA?
Autoeficácia é a crença de que somos capazes de executar ou atingir determinados níveis de rendimento. 
O QUE É A AUTOESTIMA
O autoconceito é uma descrição do que o indivíduo sente acerca de si próprio; a autoestima dá um valor a esses sentimentos, representando uma autoavaliação da sua forma de ser ou estar; ou seja, a autoestima é o constructo que melhor representa o bem estar psicológico do sujeito.
 O QUE É A MOTIVAÇÃO?
É muito fácil um atleta sentir-se motivado quando os seus objetivos são atingidos (bons desempenhos desportivos, ausência de lesões, vitórias); difícil é continuar motivado quando as expetativas não são cumpridas, ou no surgimento de adversidades (injustiças, frustração, lesões graves).



MAS O QUE SIGNIFICA ESTAR MOTIVADO?
É a tendência para lutar pelo sucesso, de persistir face ao fracasso e experienciar orgulho pelos resultados conseguidos; é a direção (”sei o quero fazer, ter ou conseguir”) e intensidade (“envolvo-me com diferentes graus de intensidade, na direção que selecionei para a minha ação”) do esforço de um indivíduo.

Os julgamentos de autoeficácia determinam o nível de motivação, ou seja, é em função dos mesmos que o atleta tem o incentivo para agir e imprime uma determinada direção às suas ações, pelo facto de antecipar mentalmente o que pode realizar para obter os resultados. As crenças de autoeficácia influenciam o estabelecimento de metas, a quantidade de esforço e a perseverança em busca dos objetivos.
No contexto desportivo, um atleta motiva-se e envolve-se nas atividades, caso acredite que com os seus conhecimentos, talentos e habilidades poderá adquirir novos conhecimentos, dominar a técnica e melhorar as suas habilidades.

Com fortes crenças de autoeficácia, o esforço estará presente desde o início e ao longo de todo o processo, de maneira persistente, mesmo que sobrevenham dificuldades e contrariedades.
A compreensão da importância da autoestima, da autoeficácia e das expetativas no desempenho e motivação dos atletas é importante, atendendo  a que ajuda à formação especialmente de jovens atletas, que devem estar preparados para os momentos difíceis em que o corpo e a mente são testados ao máximo.


Acreditar no próprio valor e no sentido da perseverança e humildade, faz com que consigam ultrapassar os aparentes obstáculos e resistências aos seus progressos técnico, físico e mental.

A alta competição reside na boa formação dos atletas, essencialmente nos mais novos, daí a importância do trabalho de uma equipa multidisciplinar (psicólogo/treinador), cujo papel principal deve incidir na desdramatização tanto das vitórias como das derrotas, fazendo o jovem atleta concentrar-se na performance e na boa técnica.

“ A saúde mental positiva está diretamente correlacionada com o sucesso no desporto” (Morgan, 1985)


© Fotografias| Liliana Fernandes - Butterflies & Hurricanes
Contributo do blog para a página da equipa
Juvenis do Desportivo de Monção